sábado, 11 de abril de 2009

O Quadro

Era noite, convidavas-me a ver um novo mundo, mas estava preguiçoso.
Insististe e lá cedi intrigado. De repente, sem qualquer aviso, a escuridão teve cor. A lua cheia espreitava-nos com inveja. Ao som do mar e sob o céu nublado numa praia deserta, tornámo-nos um. Pintaste-me um quadro idílico onde coloriste o meu mundo com cores que não sabia existirem, enquanto às estrelas desejei que o nosso momento durasse para sempre.
Em dois dias vi a beleza que pintas neste mundo de banalidades. Fizeste-me perder nos teus olhos, e nesse tempo em que sonhei, o inalcançável esteve aos nossos pés.
Assim nos teus beijos e conforto, encontrei felicidade.
Depois de me perder voltei-me a encontrar. Despedia-me de ti… era hora de voltar á realidade.

Beijaste-me e voei mais uns minutos enquanto te via partir.
Quando desejava ser princípio de mim, pintaste-me um princípio de nós e com simples pinceladas ao acaso numa tela branca e nua, criámos realidade.



Deixas pegadas na areia que sou, pegadas que nem o tempo apagará do nosso quadro…
PM.

1 comentário:

André disse...

Simplesmente lindo!

Também quero um "nós", mas parece-me impossível, visto que sou um monstro de sangue frio.

Looking forward for new posts ;)