quarta-feira, 8 de abril de 2009

Renascer.

Uma hora. Duas… Três…
O tempo voa. Quero também voar, mas apanhado na monotonia as horas parecem-me dias. Fumo, bebo, anseio. Sigo o rio e espero… Espero o dia. O dia em que a corrente mude. A impotência surpreende-me. Nadarei contra o rio? E para quê? Julgar-me-ão louco. Porém saberei que lutei.
Neste controverso mundo onde é premiado o parvo e desprezado o audaz valerá a pena lutar?Opinião modesta a minha que diz que sim, serei eterno audaz e lutarei.
Lutarei contra a corrente, correrei contra vento … Estúpido talvez, mas fiel a mim.
Esta escuridão que nos rouba os princípios…
Queimar-me-ão na fogueira, mas das cinzas irei renascer, como Fénix e ai voarei. Terei todo o tempo do mundo… quando tudo tiver o fim, sem princípios alguns, serei princípio de mim.

Simplesmente 19, PM

2 comentários:

Rita Guerra disse...

Gostei da retrospectiva e... mais uma vez Parabéns! :)

BárbaraSabino disse...

És grandioso !